13

A historia de Taíza!

Hoje é terça-feira dia de convidada especial aqui no Mãe para toda vida, e nossa convidada de hoje é a Taíza, que eu conheci através de uma postagem que fiz sobre a HDC - Hérnia diafragmática em abril aqui no blog (se quiser ler é só clicar Aqui) atendendo a um chamado da nossa amiga Débie. A Historia da Taíza é emocionante, faz a gente crer que milagres existem, e a Taíza ao meu ver é um verdadeiro milagre! Me acompanha? Vale muito a pena!

A historia de Taíza!




Meu nome é Taíza tenho 19 anos. E há 19 anos fiz uma cirurgia de Hérnia diafragmática.
Nasci de 32 semanas de parto normal no dia 16 de fevereiro de 1993. Foi uma gestação normal até o 6º mês. Do 6º até o 8º mês minha mãe teve dilatação do útero e teve o risco de aborto. Ficou de repouso tomando remédio pra segurar a gestação.

Após o parto fui para casa normalmente. Com 25 dias de nascida comecei a vomitar e então fui levada ao pediatra. O pediatra tinha suspeita de Hérnia Diafragmática, mas não foi confirmado, pois a cidade onde eu morava era muito pequena e não havia aparelhagem suficiente para diagnóstico.
Fui mandada para uma cidade vizinha um pouco maior. Minha mãe conta que o médico que me atendeu fez ultrassom, raio-X e exames de sangue. Então foi confirmada a Hérnia diafragmática Complicada. Os médicos nem sabiam o que fazer, pois nunca haviam tido casos relatados nesta cidade.
Depois de três dias minha mãe desesperada assinou um termo e me retirou desse hospital. Pois meu estado de saúde agrava a cada dia. Eu já estava com desidratação, pneumonia, travei os membros inferiores, superiores e não movimentava a mandíbula, não mamava, não respirava direito e tinha convulsões.
Fomos à cidade mais próxima com um centro médico melhor. No caminho tive três convulsões.
Chegando a cidade fomos direto ao Hospital das Clinicas. Fui atendida pela neonatologista. Ela pediu os papéis de encaminhamento do Hospital em que estava e quando ela abriu o envelope estavam todos em branco. Então tive que fazer todos os exames novamente. Enquanto providenciava rapidamente os exames foi colocada uma sonda no meu estômago e constatou fezes.
Depois dos exames prontos. Meus pais ficaram desesperados em ouvir da médica que eu tinha apenas 1% de chance de sobreviver, pois apresentava um quadro muito grave de Hérnia Diafragmática Complicada, devido todos os meus órgãos com exceção dos rins estarem fora do lugar, ter pneumonia, Wolff Parkinson White (arritmia cardíaca que atinge em média 5 entre 100.000 pessoas), desidratação e estava muito fraca, pois estava vomitando a três dias.
Fizeram então uma junta médica e decidiram tentar a cirurgia. Estavam com medo, pois na época não se conhecia casos de bebês que apresentassem a patologia após 25 dias de nascido. Quando constatado o caso de Hérnia Diafragmática é mais comum que esses bebês já mostrem esses sintomas logo após o nascimento. No Hospital Universitário em que estava já haviam tentado fazer a cirurgia de Hérnia em bebês com problemas parecidos com o meu, mas esses bebês não sobreviveram.
Meus pais se agarraram ao 1% de chance e fui levada ao centro cirúrgico. Minha mãe não aceitava em ter que me perder e me pedia a Deus de qualquer jeito!
A cirurgia demorou 6 horas. Durante a cirurgia tive três paradas cardíacas!
Depois fui para UTI neonatal. Respirava com ajuda de aparelhos, os médicos tentavam retirar o tubo, mais eu não aguentava e logo tinha que voltar para o Oxigênio. Após 24horas da cirurgia tive um saco herniário. O médico que me deu a anestesia na primeira cirurgia havia alertado de que eu não aguentaria outra anestesia. Então fizeram outra junta médica para decidir o que iriam fazer. Decidiram então fazer uma nova cirurgia para retirada do saco herniário. Fiz transfusão sanguínea, mas tive uma alergia muito forte, entraram com medicação e fui para o centro cirúrgico só que não conseguiram dar outra anestesia, meu estado de saúde havia se agravado.
Voltei pra UTI com o saco herniário com risco de uma infecção hospitalar. Fiquei 17 dias na UTI e os médicos foram tirando o Oxigênio. Depois desses 17 dias já respirava sozinha. Fiquei mais 6 dias internada e fui para casa com saco herniário.
Fiz acompanhamento ate os 3 anos de idade  com pediatra e uma junta médica. O saco herniário foi regredindo mês após mês. Mesmo com alguns cuidados médicos tive uma vida normal. Andei e falei muito cedo. Com 8meses já falava quase de tudo e com 10 meses comecei a andar. Fui pra escola com 1ano e 6 meses.  Eu era uma criança muito esperta!


Aos 5 anos comecei a ter algumas cólicas  intestinais.Tinha refluxo.Fiz tratamento com uma gastroenterologista pediátrica por mais ou menos 1 ano.Mas depois o problema foi resolvido.
Aos 11 anos fiz uma cirurgia no intestino chamada Laparotomia Exploradora para Lise de Bridas. Devido a Hérnia Diafragmática com o meu crescimento as alças do intestino se romperam. Nessa cirurgia fui diagnosticada como apendicite.
Quando começaram viram a obstrução intestinal. Fiquei 7 dias com infecção hospitalar.
Passado o pós-cirúrgico fui para a cidade em que fiz minha primeira cirurgia e lá descobri que tinha Prolapso da Válvula Mitral (problema congênito da válvula do coração) e que não posso pegar qualquer tipo de infecção. Passado todo esse susto fiquei por 6 anos com  um trauma psicológico. Tratei e hoje estou bem.
Agradeço a Deus por hoje estar bem e com uma família maravilhosa ao meu lado.
Para meus pais o plano de vida deles era ter somente meu irmão (três anos mais velho) e como eles falam “Por um presente de Deus” eu vim ao mundo e sempre recebi todo amor do mundo!
Quando estava na UTI neonatal, por estar cercada de fios e tubos era difícil sentir o contato humano. Meus pais sempre colocavam a mão na minha testa. Curiosamente até hoje, sempre que estou ansiosa, com alguma dor e principalmente com medo a única coisa que consegue me acalmar é colocar as mãos na minha testa. Lembro-me sempre disso como uma prova de amor.
 Sempre fui muito independente e forte. Acredito que essa personalidade deve-se a forma como aprendi a ver a vida. Como dizia Charles Chaplin “A vida é maravilhosa se não se tem medo dela.”... E quando vejo as cicatrizes que ficaram no meu corpo interpreto-as como a presença de Deus ao meu lado lutando pela vida. Pois elas significam: Eu Sobrevivi!



Obrigada Taíza por compartilhar essa historia de luta e vitorias conosco! Fico muito feliz pelo blog me proporcionar conhecer pessoas especiais como você!


--------------------------------------------------------

E se você quer contar sua historia aqui no blog, compartilhar conosco historias da sua maternidade, é só entrar em contato comigo aqui no blog ou no e-mail maeparatodavida@hotmail.com, ficarei muito feliz em publica-la aqui.
Beijos nossos!






Comentários
13 Comentários

13 comentários:

Mamã babada disse...

Olha eu aqui novamente...olá linda estou de volta a blogosfera e já estou a visita-la.
Que historia hein...Realmente é aí que temos toda a certeza do mundo...de que milagres realmente acontecem :)


Bjinhos Talita Ferreira :)

Mamãe Roberta Soares disse...

Nossa que história. Só Deus mesmo. Estou aqui chorando, pensando no qt seus pais sofreram. Parabéns pela sua vitória. Vc é 1% que vale 1000!Um grande bj.
http://matheusmeucoracao.blogspot.com.br/

Roberta Aquino disse...

Uauuu amiga .. que história incrivel ... essas coisas são importantes pra gente não esquecer que para deus nada é impossivel ... e temos que acreditar e lutar sempre .. parabéns Taisa pela força e vontade de viver ... bjs aline .. estou de volta .. conta as novidades da sua nova casa e vida ... bjs

Brenda Kayene disse...

Nossa...... me arrepiei demaaais!!!
Que história linda de superação!!!!
Não sei nem o que comentar...

Parabéns pela vitória e pela postagem!
Amei!!!

Beijos!!!

Luiza Navarro disse...

Q historia de vitoria ,supoeraçao e sobretudo PROVA VIVA DO MILAGRE DE DEUS.
Gloria a Deus pela vida da Taiza.
Deus abençoe grandemente.
Imagino tudo q seus pais passaram e sofreram, e ela tbm,
entao Louvado seja Deus e q esta historia seja contada sempre, paraq todos vejam e saibam q a mao do Senhor fez isto.
To emocionada!

A equipe da Babycub disse...

Emocionante! Parabéns pela vitória, que Deus esteja sempre ao seu lado!

Taíza disse...

Aline Querida eu é que te agradeço pela oportunidade de poder contar um pouquinho da minha história aqui no seu blog...Agradeço mais ainda aos lindos comentários.Vcs nem imaginam o quanto eles me fazem bem!
Um Super Beijo!

Aline Patrícia disse...

Não é verdade? Eu acredito muito!!
Beijos e bem vinda de volta!

Aline Patrícia disse...

Também me emocionei quando conheci a historia dela Roberta!
Beijos!!

Aline Patrícia disse...

Oi amiga!!
Historia incrível mesmo, estou tao atrasada pra responder esses comentários que vcs já estão sabendo tudo rsrs!!
Beijos!!

Aline Patrícia disse...

Obrigada Brenda!!
Beijos!!

Aline Patrícia disse...

Que lindo isso Luiza!!
Beijos!!

Aline Patrícia disse...

Eu que tenho que te agradecer Taíza!
Sua historia é inspiradora...
Beijos!!