10

"Os filhos são do mundo" não é de José Saramago

Ela é minha rsrs


Como amo literatura queria esclarecer uma falsa autoria. Alguns atribuem o belíssimo texto que vou postar a seguir a José Saramago, mas a verdade é que a autoria é desconhecida, muita gente já tentou localizar o autor, mas ninguém sabe quem é. O que pode se afirmar é que claramente não é o estilo literário de José Saramago, o tema não combina com ele, suas abordagens são sobre politica, religião e a sociedade.  O texto diz " Eu acredito que são de Deus, mas com respeito aos ateus digamos que são deles próprios" mas Saramago era ateu, muito sem logica um ateu afirmar que os filhos são de Deus. Quem conhece o estilo do autor, sabe que não é dele, imagino ser de uma mulher( "aquele bebê que um dia levamos na barriga").

 Mas vários outros textos circulam na Web com falsa autoria, Clarice Lispector, Arnaldo Jabor, e muitos outros, e no Facebook a coisa beira a loucura rsrs, é muita coisa absurda que agente vê. Como as pessoas não sabem, confiam na internet e repassam. Mas o texto é lindo e vale muito a leitura. Leiam e me digam o que acharam.


"Os filhos são do mundo"

Devemos criar os filhos para o mundo.
Torná-los autônomos, libertos, até de nossas ordens.
A partir de certa idade, só valem conselhos.
Especialistas ensinaram-nos a acreditar que só esta postura torna adulto
aquele bebê que um dia levamos na barriga. E a maioria de nós pais
acredita e tenta fazer isso. O que não nos impede de sofrer quando fazem

escolhas diferentes daquelas que gostaríamos ou quando eles próprios
sofrem pelas escolhas que recomendamos.
Então, filho é um ser que nos emprestaram para um curso intensivo de
como amar alguém além de nós mesmos, de como mudar nossos piores
defeitos para darmos os melhores exemplos e de aprendermos a ter
coragem. Isto mesmo!
Ser pai ou mãe é o maior ato de coragem que alguém pode ter,
porque é se expor a todo tipo de dor, principalmente da
incerteza de estar agindo corretamente e do medo de perder algo tão amado.
Perder? Como? Não é nosso, recordam-se?
Foi apenas um empréstimo!
Então, de quem são nossos filhos?
Eu acredito que são de Deus,
mas com respeito aos ateus digamos que são deles próprios,
donos de suas vidas, porém, um tempo precisaram ser dependentes dos pais para crescerem, biológica, sociológica, psicológica e emocionalmente.
E o meu sentimento, a minha dedicação, o meu investimento?
Não deveriam retornar em sorrisos, orgulho, netos e amparo na velhice?
Pensar assim é entender os filhos como nossos… e eles,
não se esqueçam, são do mundo!
Volto para casa ao fim do plantão, início de férias, mais tempo para os
filhos, olho meus pequenos pimpolhos e penso como seria bom se não
fossem apenas empréstimo!
Mas é. Eles são do mundo.
O problema é que meu coração já é deles.
Comentários
10 Comentários

10 comentários:

Futura mãmã disse...

Eu tb ja conhecia mas d facto nao sei quem escreveu... bj

Mundo do Dani disse...

Olá. Também adorei o seu blog. Obrigada pela sua visita no meu blog. Sua filha é linda !!!
Bjs. Já estou seguindo

Josiane Caetano disse...

Dos autores que escrevenm sobre filhos o que mais gosto é do " Poema Enjoadinho", ele definiu bastante sobre o que eu pensava do assunto e por isto tenho um trecho dele fixo no meu blog. E realmente este texto não é do José Saramago...bobo este pessoal que escreve textos tão bonitos e não assina com o prório nome, não?
Tenha uma ótima quarta!

Rafa disse...

Que lindo o texto! Sabe que eu acreditava ser do Saramago, mas achava estranho ele ter escrito algo nesse estilo. Adorei o post.
Bjus

Aline Patrícia disse...

Queria saber de quem é a autoria!
Bjim!

Aline Patrícia disse...

Obrigada Marta, estou encantada com seu blog!
Fofíssimo!
Bjo!

Aline Patrícia disse...

Já vi mesmo no seu blog, é lindo o texto.
Então eu também não entendo, um texto tão lindo,
e o autor não assina, penso as vezes que o próprio autor
publicou o texto como se fosse do José Saramago,
para o texto ganhar fama.
Ótima quarta pra você também.

Aline Patrícia disse...

Quando li a primeira vez achei meio duvidosa a autoria,
fui pesquisar no meu amigo Google, a todos os resultados que mostravam o texto como sendo dele, teve um que dizia ser de um dos pais que perdeu o filho na tragedia que aconteceu em Angra, mas o verdadeiro autor nunca apareceu. Mas não tem nada haver com o Saramago.
Bjo!

sheR disse...

Ah... ele realmente parece ter sido escrito por uma mulher...
Nós que temos sempre aquela coisa com a gente de querer que os filhos sejam nossos, porque os carregamos, mas no fim sabemos que não é
bjO

Aline Patrícia disse...

Também achei um texto muito feminino!
Eu particularmente não queria que ela crescesse,
Queria que fosse minha eternamente!rsrs
Bjo!