9

A palmada ajuda a educar? Você é a favor?

Vocês se lembram de um post que fiz aqui pedindo à vocês para opinarem sobre a palmada? Assunto um tanto polêmico, onde ao meu ver não existe um lado certo ou errado. Não existe um jeito certo de educar, uma formula pronta, o que existe é o bom senso, e nós como pais temos que usa-lo.

Antes de nos tornarmos pais, sabemos exatamente como educar nossos futuros filhos, reparamos na forma errada dos pais que nos cercam educar seus filhos, e adoramos dar aquele pitaco básico, não é mesmo? Mas quando nossos filhos nascem a coisa muda totalmente de figura... Tem aquele famoso dito de "pagar língua" e para seu próprio bem acredite, você vai pagar, então não repare nem julgue pois  é mesmo que cuspir para cima e não sair do lugar, vai atingir em cheio sua cabeça. Digo isso por conhecimento de causa. Certa vez vi uma imagem com uma legenda mais ou menos assim: "filho, você não me deixa ser a mãe que eu sempre sonhei ser". O porque estou dizendo isso? Simples, nem de longe consigo ser a mãe que sonhei ser. Porque filho não  é um produto que você compra e sabe o que esperar, filhos são pessoas, e exatamente por isso imprevisíveis...
Sempre achei mães que gritam o tempo todo com os filhos totalmente descontroladas, achava horrível  e julgava jamais fazer algo assim e acredite com o furacão que tenho em casa vez ou outra me pego fazendo isso... Mesmo sabendo que gritar não educa e que devo parecer uma mãe louca, sem falar que não surte nenhum efeito... Mas não me imagine correndo atras dela e gritando o dia todo, as vezes quando percebi já aconteceu, mas no geral tento mostrar firmeza e quem manda, o que também raramente funciona, ela acha que estou brincando. 
No momento ela esta birrenta no nível máximo, depois que esteve doentinha a manha tomou conta. Sabe aquele choro sem lagrimas que se deixar dura horas? Então ao minimo sinal de contrariedade ela começa e claro não para. E ainda continua me desafiando, é mestre nessa arte. E eu aqui sem ação sem saber o que fazer. Confesso que dei uma palmadinha nela, ela estava incontrolável, mas pra ser honesta não resolveu, e sabe aquela historia que sua mãe dizia "dói mais em mim que em você" eu odiava escutar isso, mas é sim verdade. Dói muito na gente!
Na minha opinião bater é machucar, quem ama não machuca, mas quem ama educa, e preciso educa-la, quero o melhor para ela, só não sei se bater é a forma correta. E educar sozinha como é o meu caso é ainda mais complicado, você não tem apoio, e tudo que não dá certo a culpa é claro que cai em você. Bom mesmo seria dividir essa árdua missão, mas como não tem outra forma, sigo tentando acertar.
Quero compartilhar com vocês a opinião de outras mamães, sobre esse assunto, foram comentários deixados no post que citei acima e as imagens retiradas deles.

"Oi, Aline! Super interessante seu post, principalmente porque você deixa aqui uma infinidade de possibilidades de discussão! ;) Antes do Lucas nascer, sempre disse que daria, sim, palmada, se achasse necessário! Só que eu mesma levei pouquíssimas palmadas na vida. Nem consigo lembrar de nenhuma, na verdade, mas sei que levei porque minha mãe dava quando achava necessário. Minha mãe nunca pesou a mão, nunca me machucou. A palmada dele sempre teve mais valor simbólico do que físico. E vou te dizer que, fazendo uma breve análise da minha vida, não encontrei ainda nenhuma mãe que eu considere melhor do que a minha (para mim, que fique claro =)). Sou feliz, me considero super bem resolvida, tenho marido e filho que amo demais, um trabalho, amigos, vida social.. enfim, sou uma pessoa normal, sem traumas (aparentes). Ainda assim, acho interessante essa lei da palmada, porque não tem como eu dizer que vale palmada fraquinha e nao vale forte... Quem vai dosar? Que vale uma palmadinha de leve, mas não vale espancar. Quem vai dosar? Então, para evitar que crianças sejam agredidas em casa, acho que é uma lei válida, sim.
Ainda não sei se o Luquinha vai levar palmada ou não. Acho que o diálogo é sempre a melhor opção e certamente há maneiras - que não a palmada - de faze-lo entender o que pode e o que nao pode, o certo e o errado. Ao mesmo tempo, ele é muito novo ainda para eu dizer como vou agir em determinadas situações. Portanto, não vou arriscar dizer que NUNCA darei palmada. :) Mas quero ver o argumento das mães de crianças mais velhas!! :) Saber como as coisas acontecem, o que elas pensam..." Julia mãe do Lucas, jornalista e assessora de imprensa, escreve no blog Lulu e Eu


"Acredito que a pessoa deve estar preparada o suficiente para exercer a função de pai ou de mãe. Todos sabemos o quanto isso requer paciência e dedicação, paciência principalmente!
Estude todas as possibilidades de entender seus filhos, pesquise, procure! Existem milhões de tentativas diferentes de palmadas. Mais tarde as palmadas trarão rancor.
Ensine seu filho a lhe respeitar, converse com ele!" Equipe BabyCub.

"Ai Aline, polêmico é pouco!
Eu não sei ainda como vai ser, mas também estaria mentindo se dissesse que discordo totalmente da palmada.
Tenho um amigo, já de idade que diz, que o que não se deve fazer é a palmada quando se estar com raiva. Porque fazendo isso você não está disciplinando e sim descontando a raiva.
Não vou dizer que nunca vou dar uma palmada porque mãe paga língua. Vamos esperar pra ver." Andreia mãe do Alvaro, estudante de direito, escreve no blog Pititico.

"Eu não discordo da palmada quando utilizada em casos muito extremos, a conversa pra mim sempre é a primeira opção, mas e se a criança não ouvir e fazer do mesmo jeito e ainda te desrespeitar, você vai fazer oque? Ficar quieta e tentar conversar enquanto a criança se nega a ouvir e ainda faz hora com a sua cara? Sei não...é difícil, eu levei palmada, as vezes a toa e não gostei, mas as que levei com razão me fizeram nunca mais repetir o erro e eu entendi, mas vai que eu não faço nada disso com o liam, é complicado dizer, por que ele pode ser o tipo de criança que nem vai precisar disso.." Meriene Zamprogno mãe do Liam, escreve no blog Mammy Rock.

"Pra mim quanto mais mantemos uma criança afastada de qualquer tipo de violência, física ou psicológica, maiores as chances da criança se tornar um adulto avesso à qualquer tipo de violência. O ambiente familiar precisa ser de bons exemplos e firmeza na educação, só assim mudamos uma sociedade." Andrea Fregnani, mãe da Alice, escreve no blog  Mamãe 24 horas.


As imagens:



Obrigada pela colaboração de vocês. Gostaria de frisar que esse texto não tem nenhuma opinião de especialistas, é apenas uma troca entre mães que erram e acertam todos os dias.
Se quiserem ler os outros comentários ou conhecer o texto que os originou, é só clicar Aqui!

Ps: Filhinha gostaria muito que você soubesse  que se eu errei um dia foi tentando acertar!!! Espero que entenda isso quando ler esse texto!
Comentários
9 Comentários

9 comentários:

Andreia Cristina disse...

Ei Aline! Sem problema!
O texto ficou ótimo!
Então, sem julgamentos. Acho que o disciplinar não pode ser agressivo e raivoso sabe? O que eu tinha dito: não pra descontar a raiva mas para ensinar.
"Ai Pititico seja obediente!"
Hahaha

Beijo!

Roberta Aquino disse...

Também acho amigaaa ... tudo bem que as vezes dá vontade de dar uma palmada sim ... mas respiro fundo e não faço ... tb acho que tem outras formas mais eficientes .. na minha época era comum apanhar mesmo .. mas sempre achei desnecessário .. lembro do que eu sentia e não quero isso pra minha filha ... bjs amigaaa e vai lá no nosso reino.. bjs

Diário da mãe e da filha disse...

Aline ótimo texto, sem problema nenhum. Cada mãe dando sua opinião. E amei o recadinho que deixou pra Emily no final "Se errei foi tentando acertar"

Beijão
Lilia

Meriene Zamprogno disse...

Tranquilissimo Aline =) respeito todas as opiniões aqui dadas, é muiiito difícil controlar mesmo, ainda mais quando a mãe educa sozinha né, a gente fica pensando se deveria ter feito ou não ter feito, mas acredite que como voce mesma disse, voce errou tentando acertar e pensou muito antes de fazer, entao nao foi algo impensado né...

Um dia faço um post sobre isso explicando bem a minha opinião, mas que divide, divide mesmo a gente!

Jamilly Mãe do Lucas Davi disse...

Otimo texto, cada pessoa sabe a melhor maneira de educar os filhos, claro que sou contra a violência, aqui prefiro conversar e mostra o certo no dialogo familiar.

Adorei o blog e estou te seguindo!

beijos
http://maedolucasdavi.blogspot.com.br

Vanessa Castro disse...

Olá amiga!
Venha visitar nosso Bloguinho que já está em clima de Halloween!
http://umbebechamadobryan.blogspot.pt/

Nádia Lima disse...

Excelente post!
Seu blog é uma encanto,parabéns pelo trabalho e pela filhota linda!

http://amordemaematerno.blogspot.com.br



Mamãe Roberta Soares disse...

Ótimo post. Sempre apanhei muito, e não fui assim tão terrivel. Minha mãe é sem paciência. E um dos meus medo ao ser mãe era ser igual a ela. Eu não sou contra a palmada, mas deve ser mais pra efeito moral que dor. Eu já dei por cima da fralda do Matheus. Sei que não doeu, foi pra que ele me ouvisse e percebi que fez diferença. Acredito que na conversa conseguimos muito mais do que batendo.
Bjs
http://matheusmeucoracao.blogspot.com.br/

Maria Heloisa disse...

Perfeita postagem Aline adore, e muito bem explicado, eu acho que conversando e mostrando se consegue as coisas.
beijinhos ♥