3

Não se acostume com a dor.



Há algum tempo tenho pensado em abordar um assunto com vocês, mas por se tratar de um problema que me afeta eu venho adiando. Na verdade o assunto é meio complexo, de difícil abordagem, por esse motivo eu decidi falar de maneira pessoal, como a doença me afetou e o longo caminho até sua descoberta. Você deve estar se perguntando sobre o que estou falando, eu falo sobre endometriose!

Tive minha filha através de uma cesariana, sem complicações e com uma recuperação rápida e muito feliz. Após minha filha completar 1 ano, comecei sentir dores insuportáveis no lado esquerdo da barriga, bem onde cicatrizou o corte da cirurgia. Sempre notei a relação com o período menstrual, mas não era cólica, se a cólica já é uma dor perturbadora, a dor que sentia era massacrante, mal conseguia andar. Não é atoa que esse tipo de dor é considerada incapacitante, pois você perde mesmo a capacidade de trabalhar, se divertir ou mesmo ter uma noite de sono. A dor me roubava da rotina, incapacitando de ter uma vida normal.

Fiz exames mas nada foi diagnosticado, o sofrimento continuava, alguns médicos tratavam o assunto como se fosse pura manha. Isso me dava um desanimo que cheguei acreditar que nunca descobriria o que tinha, e o medo do desconhecido me fazia muito mal, pois eu sabia que algo estava errado, sentia isso 15 dias por mês e os médicos não sabiam o que era.

Quando me mudei para Goiânia  eu tentei um ginecologista pelo plano de saúde, o que foi ótimo, pois fiz alguns exames que ainda não tinha feito, e através de um Ultrassom de Partes Moles, ele viu que tinha algo errado, um tecido no local que eu sentia dor, mas o tal tecido era palpável, pelo menos pra mim. Pronto ele descobriu o que era, a maldita endometriose, mas infelizmente não foi a solução, era apenas o começo de mais sofrimento. Mesmo assim agradeço o médico por ter ao menos diagnosticado o que eu tinha. Ele passou um medicamento muito utilizado no tratamento da doença. Mas o preço altíssimo, os enormes efeitos colaterais e a dor alucinante me fez desistir do tratamento e partir a procura de outro medico.

A dor era tanta que todo mês tinha que tomar medicações fortíssimas na veia, medicações que já  não conseguiam aliviar a dor, deixar de trabalhar e ficar de cama. E ainda ver as pessoas duvidando de todo aquele sofrimento. Sempre digo, só quem tem sabe o martírio que é, eu até me acostumei a sentir uma dor mais branda durante todo o mês. Me acostumei a chorar nos consultórios médicos pedindo ajuda, queria que alguém resolvesse meu problema, queria ter uma vida normal. 

Comecei participar de grupos de ajuda no Facebook, conheci mais mulheres com o mesmo problema, descobri que não estava sozinha, vi que muitas passavam por um problema até maior que o meu, pois a Endometriose causa infertilidade, muitas não conseguem realizar o sonho de ser mãe, felizmente esse sonho eu já realizei. E realmente ajudei, pois se antes me sentia uma fraca por causa da dor, descobri que era mais uma guerreira, uma guerreira que enfrenta diariamente o monstro da endometriose.

Encontrei uma nova ginecologista, está muito recente, estamos fazendo uma nova tentativa. não é a solução, pois ainda não existe uma solução, mas optamos por evitar a menstruação. Claro que tem os contras, vamos falar sobre isso mais adiante, mas a dor diminuiu, tenho me sentido melhor, não sei ainda o que vai acontecer. Mas já me sinto confortável para dividir isso com vocês.

Agora que já dividi um pouco da minha luta com vocês, eu vou começar abordar mais sobre o assunto, vou postar pesquisas que me ajudaram, a maior parte do que descobri sobre a endometriose foi pesquisando, estudando, ainda não existem muitos médicos capacitados sobre a Endometriose, eu não tive acesso a nenhum, mas tive acesso a uma boa profissional, tive sorte, nem todas tem. Em breve vou postar sobre o que é, sintomas, tratamento e tudo que precisamos saber, pois esse texto já está extenso demais.

Só deixo um alerta a vocês mulheres, não achem que rolar de dor achando que é cólica é normal, pois não é, não deixem ninguém diminuir a dor que estão sentindo. Vão atras, não se acostumem com a dor, você não precisa sofrer sozinha. E se você tem endometriose e quer compartilhar a sua historia, entre em contato comigo. Vamos nos unir e buscar melhor qualidade de vida para portadoras da endometriose.
Comentários
3 Comentários

3 comentários:

Jéssica | Entre Vitrines disse...

Eu sou super preocupada com qualquer dorzinha. Eu sou dessas que acredita que o corpo fala e que dor nenhuma é normal. Curti o post. Beijos!!

vanessa Medeiros disse...

Nossa me preocupei agora, sempre dores horríveis e nunca procurei saber oque era :/ vou o mais rápido possível no médico

Prof Rosi Oliveira disse...

GOSTEI DO SEU BLOG E TENHO UM ARTIGO PARA VOCÊ

Olá Tudo Bem? Primeiro! Quero me apresentar sou a Professora Rosimeire F. Oliveira
A minha especialidade é falar sobre Saúde, Bem Estar e Emagrecimento.

Escrevo atualmente para o Beleza Blog (beleza.blog.br).
Achei muito interessante o seu blog, gostaria de contribuir com um artigo de minha autoria,
o texto é totalmente gratuito e o assunto é mais relacionado ao seu blog.

Será um artigo atraente e atualmente muito buscado pelo público.

Para divulgação do meu trabalho o que necessito é um link dentro do artigo.
Se você aceitar publicar o artigo eu divulgo (grátis) na nossa rede que soma mais de 2 milhões de visualizações.

Entre em contato comigo por e-mail prof.rosioliveira@gmail.com

Me solicite um artigo para avaliação e um plano de divulgação.

Gostaria de fazer parte do seu blog através desse artigo!

Aguardo sua resposta e estou a sua disposição! Atenciosamente,
Professora Rosi Feliciano Oliveira