2

O Menino e Sua Mãe no Colo - Poema

Texto magnífico que me tocou muito!!



Descansa no meu colo a tua cabeça de mulher, deixa que eu seja o teu pai, ainda que por um instante. Vivamos o parto às avessas, eu que sou teu filho, por hora quero ser o teu pai, só pra ter o prazer de te ver a menina tão cheia de sonhos, só pra puxar os teus cabelos e nele, neles colocar laços bordados de alegrias, cores de tempos antigos, distantes, quando nem imaginavas que eu seria o teu filho. Vem aqui, fica quietinha, permita que eu cuide de tuas coisas, de teu guarda-roupa tão cheio de desordens, não importa, o remédio eu te trarei, o teu alimento eu plantarei e ajeitarei o teu travesseiro de um jeito que gostes, só pra descobrir a alegria de reverter os poderes do tempo e poder inverter a ordem dos fatos, só pra ter a graça de te chamar de minha filha, minha menina, minha mãe que é minha Aninha, só pra ter a graça de evitar os teus choros futuros, tuas dores constantes, teus medos tão delicados, medo de me perder, de que eu morra antes da hora e de que não estejas por perto, num momento que eu precisar de tua mão, como no passado quando me conduzias contigo, e como, como se fossemos um só, um nó de gente, amarrado e costurado no amor que sobrava do teu peito, que Deus esqueceu no muito e que eu vi de perto refletido nos seus olhos, quando a vida nos apresentava motivos para perder a esperança. Oh! Minha mãe, que saudade eu sinto de nós dois juntos.
Comentários
2 Comentários

2 comentários:

Carlah Ventura disse...

Que lindo poema e quão mais lindo seria os filhos o interpretando de maneira constante.Beijos
Carlah Ventura - Intensa Vida

Roberta Aquino disse...

Texto mais lindooo ... emocionante ... adorei ..vou copiar pra mim ... bjs